Remessa Internacional: entenda o que é e como funciona

4 min de leitura

Remessa Internacional

Você já ouviu falar em remessa internacional? Sabe do que se trata? Este é um procedimento cada vez mais popular, mas que demanda bastante atenção. Muitas pessoas possuem dúvidas sobre como fazer, quais as alternativas possíveis e por onde começar.

Essa dúvida também é sua? Então, vamos ajudar você a entender mais sobre o tema. Preparamos este artigo com as principais perguntas e respostas sobre a remessa internacional para que você possa se informar. Confira!

O que é remessa internacional?

Como o próprio nome sugere, a remessa internacional é o envio ou recebimento de dinheiro do exterior. Por ser um procedimento feito de um país para outro (tanto por pessoas físicas quanto jurídicas), ele exige certos cuidados. 

Diferente de uma transferência de um valor para uma conta bancária dentro no Brasil (seja por Pix, TED ou DOC), a remessa internacional demanda aspectos específicos, como taxas, juros e câmbio monetário.  A remessa internacional pode envolver, inclusive, o IOF (imposto sobre operações financeiras) a depender do tipo da transferência. 

Vale, portanto, considerar as alternativas disponíveis e suas condições.

Aliás, você sabia que a remessa internacional também é conhecida por outro nome? Sim! Ela é chamada de wire transfer. Este termo surgiu nos EUA, na época em que o telégrafo era muito utilizado para a comunicação. Wire significa fio… Assim, os bancos trocavam informações por meio do telegrama e informavam que o remetente x de determinado país queria enviar uma quantia para o destinatário y, em outro país. Legal, né? 

Bom, sobre a remessa internacional é fundamental entender uma coisa: cada país possui legislações e condições diferentes para as transações financeiras. Assim, realizam cobranças específicas para determinadas operações.

Aqui no Brasil, a regulamentação é feita pelo Banco Central. Portanto, é necessário que você escolha uma instituição ou plataforma que seja regulamentada por este órgão para fazer a sua transferência, até mesmo para que o seu dinheiro esteja seguro.

E por falar em dinheiro, sabemos que as moedas apresentam variações de país para país e, naturalmente, possuem valores diferentes. Tudo isso exige uma conversão, de acordo com a taxa e com o regime cambial de cada localidade. 

Em quais casos a remessa internacional pode ser feita?

A remessa internacional pode ser feita em diferentes contextos.  Se você trabalha no Brasil e presta serviços para uma empresa no exterior, por exemplo, precisará fazer este procedimento para receber. Por isso, é importante escolher a opção menos burocrática,  mais barata e mais rápida, visando não comprometer seus prazos e renda.

Para as empresas brasileiras, a remessa internacional é bastante comum. Ela pode ser feita para o recebimento de algum produto ou serviço, para a importação ou exportação. A remessa internacional também serve para diversos casos, como:

  • investimentos,
  • recebimento por serviços prestados,
  • manutenção de residentes,
  • aquisição de imóveis,
  • envio ou recebimento de dinheiro para algum familiar ou amigo, etc.

Vale lembrar que o Banco Central determina os limites de valores para as remessas. Em suma, a instituição considera que o envio de até USD 3 mil (aproximadamente R$ 15 mil), é uma transação de baixo valor e não exige documentos adicionais. Passando disso, é possível que solicitem documentos (como a declaração de imposto de renda) para avaliação de um limite maior.

Como comentamos, receber dinheiro do exterior pode ser algo simples, desde que seja feito de forma correta. Por isso, em muitos casos, é interessante contar com especialistas para garantir o sucesso da transferência. 

Não se esqueça de que a fiscalização realizada pelo BACEN é rigorosa e possui uma série de recomendações para o remetente e o beneficiário. Você pode conferir as regras na cartilha de câmbio, atualizada em 2018.

Como fazer uma remessa internacional?

O Banco Central divulgou recentemente que um de seus objetivos em 2022 é o de permitir o envio e o recebimento de Pix do exterior. Esse tipo de transferência caiu no gosto dos brasileiros, principalmente por ser fácil e rápido. Mas, essa opção ainda não está disponível e não saberemos quais condições irá envolver. 

Se você precisa receber uma quantia do exterior, seja por algum serviço prestado, ou enviar dinheiro para custear estudos, investimentos e outras situações, o ideal é que procure por caminhos mais seguros e conhecidos pelo mercado.

A remessa internacional pode ser feita por meio das instituições financeiras, dos Correios e das plataformas digitais. Porém, cada uma das opções envolve taxas e processos diferentes. Por exemplo: fazer a remessa internacional por meio de bancos pode ser um processo caro e burocrático, já que várias taxas de serviço são exigidas. 

Indicamos, abaixo, as informações sobre as principais alternativas para enviar e receber dinheiro do exterior, para que você possa escolher a mais interessante. 

Instituições Financeiras: Bancos ou Corretoras de Câmbio

Para fazer a remessa internacional por meio das instituições financeiras, é necessário acessar o app do seu banco ou ir presencialmente à uma agência. Depois de pedir uma ordem de pagamento, você precisa identificar os dados bancários do beneficiário e definir o valor a ser enviado. 

Esta não é uma opção vantajosa por apresentar um custo maior do que as outras alternativas do mercado. Além de pagar taxas administrativas, há também a cobrança de tarifas adicionais. Normalmente, os bancos cobram a taxa SWIFT (para o envio), a taxa de câmbio e a taxa administrativa. 

Correios

Muitas pessoas não imaginam, mas é possível enviar e receber dinheiro do exterior pelos Correios. O processo é feito com o Vale Postal Eletrônico, por meio do pagamento de uma taxa fixa de R$ 25,00 e adicionais de 1,5% do valor da remessa, dependendo do país de destino. 

Através dessa alternativa, o destinatário recebe uma notificação pelo correio do país e precisa se encaminhar até a agência para efetuar o saque. Normalmente, ele recebe uma notificação por carta, com o aviso de chegada. O prazo para o envio e recebimento pode variar e demorar até 5 dias para a conclusão.

Plataformas digitais

As plataformas digitais são muito interessantes para quem busca por custo benefício e praticidade. Normalmente, as transações são concluídas com mais rapidez e podem ser feitas pelo computador ou celular.  Na Husky, por exemplo, você pode fazer a transação por app e receber o seu dinheiro rapidamente.

Diferente dos grandes bancos, as plataformas digitais não costumam cobrar tarifas abusivas, embora ainda seja comum encontrar taxas desconhecidas ou ocultas pelos bancos. Algumas delas também fazem um trabalho melhor em relação à documentação necessária. Neste contexto, é sempre importante procurar por plataformas que sejam autorizadas pelo BACEN e prestem um atendimento transparente, sem complicações.

Conclusão

O mercado está repleto de possibilidades para quem deseja fazer uma remessa internacional e, com a ajuda da tecnologia, este processo se tornou ainda mais simples e acessível.  Porém, nossos dias exigem rapidez, agilidade e confiança. Se você precisa receber dinheiro do exterior, não deixe de procurar por uma plataforma que seja simples, tenha credibilidade e ofereça a melhor experiência, conte com a Husky!

E então, conseguiu entender o que é a remessa internacional, como ela pode ser feita e quais os cuidados necessários? Esperamos que sim! Acompanhe as redes sociais da Husky e fique em dia com outros conteúdos informativos, como este. Estamos no Facebook, Twitter, Linkedin e Instagram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.